Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Para que não restem dúvidas

por Hugo Sampaio, em 27.05.16

Para quem tinha dúvidas da posição do Psd e do Cds acerca dos contratos de associação é seguir o link da noticia.

Este é o motivo de tanto burburinho, este é o motivo de tanta indignação. É uma discussão que o PSD e CDS tornaram politica e ideológica deixando a questão orçamental e a de defesa das crianças e do nosso futuro para segundo plano.

Talvez todo este barulho, todas estas manifestações que envolvem tanta logistica sejam o motivo de Paulo Portas já ter faltado 16 vezes ao Parlamento alegando "trabalho politico".

O movimento que defende a destruição da escola pública veste de amarelo e tem o apoio do PSD e do CDS.

 

Noticia

9442829f700dccac5f2580a930726da8_XL.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:04

Mais Angola, menos liberdade.

por Hugo Sampaio, em 01.04.16

A sentença saiu, a liberdade perdeu.

Há quem nunca tenha duvidado do regime que é Angola e há quem, por uma irmandade politica ou por outra coisa qualquer, não vê nem quer ver as atrocidades que se vivem naquele país a bel prazer de um Presidente, que não é nada menos que um ditador.

Angola tem um peso gigantesco em Portugal, a economia vive refém dos interesses económicos da filha de um ditador e para além dos interesses económicos há, claro, pressões politicas.

O Bloco, muito bem, apresentou um voto de condenação sobre a repressão em Angola apelando à libertação de activistas detidos. 

Os jovens activistas foram acusados de co-autoria de actos preparatórios para uma rebelião, ou seja, foram julgados e presos por promoverem a leitura do livro "Da ditadura a democracia".

P: Podemos traduzir isso?

R: Sim, podemos.

Um grupo de jovens foi julgado e preso por exercer direitos fundamentais consagrados na Declaração Universal dos Direitos Humanos.

 

 

“Toda a pessoa tem direito à liberdade de pensamento, de consciência e de religião”

 

Infelizmente o voto de condenação apresentado pelo Bloco foi chumbado porque, mais uma vez, o parlamento portugues decidiu não entrar em conflito com o seu amado regime angolano. 

Do PSD e do CDS já não há surpresas, colocam-se sempre do lado do dinheiro e dos interesses, é como o teste do algodão.

Quanto ao PCP, partido defensor das liberdades e que tanto fez por este país, gosta de se colocar demasiadas vezes de mãos dadas com regimes de partidos seus irmãos.

Parece que para o PCP este artigo da Declaração Universal dos Direitos do Homem tem um leitura diferente: "toda a pessoa tem direito à liberdade de pensamento, de consciência e de religião desde que não seja em Angola, na China, na Coreia...(introduzir mais regimes a gosto)"

 

Voto apresentado pelo Bloco

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:03

Sérgio Monteiro - O homem do contrato

por Hugo Sampaio, em 03.01.16

Sérgio Monteiro é uma espécie de zorro da caneta, tudo que toca vira contrato e ele, qual espadachim, saca da sua espada e sem dó nem piedade sai a assinar tudo que é papel. 

Começa mesmo antes de entrar no governo, enquanto representante de um consórcio privado, assina um contrato swap que gera perdas de 152 milhões, ora bem, esse contrato foi resgatado pelo estado que assumiu tudo que é despesa e adivinhem lá quem assinou pela parte do estado esse contrato ruinoso...O mesmo Sérgio Monteiro já abraçado pelo governo PSD. 

Mas este ex secretário de estado não fica satisfeito saindo agora com o cunho do PSD a assinar contratos de privatização da TAP, ANA; CTT e CP Carga 

e mais uns quantos contratos danosos como os pagamentos duplos à Lusoponte

 

 

Parece que Sérgio Monteiro só demorou a assinar um contrato, sabe-se lá porque...

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:15

Triste fado (ou outra coisa qualquer)

por Hugo Sampaio, em 24.10.15

Acabo de descobrir que o anterior presidente da câmara cá da terrinha era um dos clientes da ESGER, sim, dessa boa empresa criada pelo BES para os grandes empresários fugirem ao fisco. 

Noticia

É um homem muito famoso como se pode verificar. Para o conhecerem melhor aqui vai outra

Noticia 2

Sinto-me muito mais sossegado em saber que este ex presidente já não está no poder, hum, mas o agora presidente era o vice deste senhor....Bem, o poder nesta terrinha está controlado pelo partido do senhor Armindo, que imagine-se lá é o PSD. Esse tão afamado partido da estabilidade defendida por Cavaco, claro que é o único partido que devia governar porque os outros são todos uns sacanas de uns instáveis esquerdistas e comunas. Ah, o CDS claro que também pode ajudar na governação porque o anti-europeísmo deles é mais fofinho por ser de direita, e católico claro.   

É verificar

Passos Coelho-Tecnoforma

Passos Coelho-Segurança Social

Cavaco e Relvas-Lista Vip

Relvas-Curso superior

Cavaco-ações Sln

Passos Coelho-Elogio Dias Loureiro

Dias Loureiro

Já têm suficiente...Viva a estabilidade e a seriedade deste PSD, tão amado por Cavaco Silva que prefere assumir-se como membro do partido acima de Presidente da República, defraudado o cargo sem qualquer problema para defender os seus meninos. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:59

Paulinho das feiras, o mãos largas

por Hugo Sampaio, em 19.10.15

Todos nós sabemos as dificuldades na hora de oferecer presentes, a falta de ideias é o nosso maior inimigo, por isso percebo perfeitamente Paulo Portas que, à falta de qualquer ideia, a única coisa que lhe restou foi oferecer a António Costa o seu próprio lugar de vice primeiro ministro. Paulo Portas que tanto adora a ribalta, as luzes dos holofotes e as palmas (dos boys do partido claro) oferece agora uma cadeira, tudo para manter o poder mesmo com um cargo menos importante, como se isso fosse o que realmente interessa a António Costa e ao país. Talvez Portas necessite de deixar o cargo de vice primeiro ministro para se dedicar a tirar fotocópias e a fazer desaparecer dossiers no seu gabinete.

Paulo Portas deixou há muito de ser o Paulinho das feiras para se dedicar a esfregar a sua grande lata, já há muito que perdeu a vergonha, talvez juntamente com uns tais documentos sobre os submarinos.  

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:28

Farol, farol....(é a clarificação ao fundo)

por Hugo Sampaio, em 11.10.15

Por estes dias delicio-me com as noticias e com os comentadores, levantou-se todo um arsenal contra a viragem do PS a esquerda. Não sei se o Bloco e a CDU conseguirão trazer o PS para a esquerda (assim o espero) mas uma coisa é certa, este é o primeiro momento nos últimos anos em que o PS terá de mostrar de que lado da barricada está realmente e isso está a deixar meio mundo em brasa. É incrível a quantidade de comentadores que corre de mãos na cabeça para o PS virar a direita. É incrível como aqueles que sobrevivem do compadrio e do negócio obscuro aparecem com medo do Bloco e da CDU, só por isso, só por ver os corruptos, os lobistas (UGT incluída) e os clientes do amiguismo cheios de medo tudo isto já valeu a pena.

Espero mesmo um entendimento entre PS, Bloco e CDU, só assim é possível um verdadeiro governo da esquerda com vista ao crescimento do país mas assente na estabilidade e qualidade laboral e na igualdade assim como num serviço nacional de saúde público e de qualidade e na defesa na escola pública. 

 

tumblr_mhvg5veL7m1rxxc80o1_500.jpg

 

 

Ao fundo o farol ilumina o caminho, a maré é navegável mas só com a frota de três navios a navegar em conjunto, várias pedras são arremessadas pelo inimigo e por aqueles que até aqui julgávamos nossos aliados. O adamastor espera na margem calmamente e a desejar fortemente que esta frota não chegue ao cais e, mesmo chegando, o malvado adamastor prepara-se para negar a chegada.  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:55

Era só uma cruz (depois veio a bola)

por Hugo Sampaio, em 06.09.15

Já cheira a campanha, um pequenino mês separa-nos do dia de todas as escolhas.

É com uma pequenina cruz que se pode fazer a grande diferença. 

Podemos fechar os olhos por um breve momento e imaginar uma assembleia da republica diferente, podemos até imaginar a coligação PaF reduzida a um pequeno punhado de deputados, podemos tudo que quisermos.

Muitas vezes tento imaginar um governo que não ceda aos interesses e se deixe de, por exemplo, entregar 8 mil milhões em ajustes directos. Fecho os olhos e imagino um governo que deixe de destruir empregos, que deixe de asfixiar os portugueses e de destruir o estado.

Tudo é possível com uma cruz no devido quadrado. 

Não, não temos mais que aguentar com um governo de direita nem temos que ficar presos aos mesmos do costume, não somos reféns dos destruidores do estado, não somos reféns da finança nem dos lobbies e do amiguismo, não temos que continuar reféns porque "eles" não são "donos disto tudo".  

É a hora de romper com quem nos trouxe até aqui, não temos que aceitar mais liberalizações nos despedimentos nem mais ataques ás pensões da segurança social.

Fecho mais um pouco os olhos e imagino as possibilidades de nos vermos livres das amarras que nos prendem há 40 anos. (Depois percebo que há futebol no dia de eleições)

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:17

Rendas para privados, a sangria do estado

por Hugo Sampaio, em 26.07.15

 

 

 

A ideologia continua a marcar fortemente as decisões políticas deste governo levando muitas vezes, se não a maior parte delas, a perdas para o estado. Para os próximos três anos letivos os contratos de associação passam a incluir mais 656 turmas que aumentarão as transferências para os privados em cerca de 53 milhões. É sempre de estranhar este aumento de custos com os privados quando o próprio ministro Nuno Crato diz que há um menor número de alunos, desculpa que usa para justificar o despedimento de professores.
Em outros anos estes contratos só seriam feitos quando não existiam escolas públicas na área de residência, hoje, prevalece o interesse e a ideologia fazendo contratos destes mesmo existindo escolas públicas na mesma área esvaziando essas escolas e entregando o ensino aos privados. Esta ideologia ruinosa está a levar a destruição do ensino em Portugal.
No total existem 1732 contratos com um custo na ordem dos 140 milhões, um custo superior ao das escolas públicas visto que as transferências para o privado são superiores.
Manuel Pereira, da Associação Nacional de Dirigentes Escolares (ANDE), defende que "se os pais têm um estabelecimento público perto de casa, mas preferem um privado, então, paguem. Não tem que ser o Estado, que somos todos nós, a fazê-lo".
Mário Nogueira, da Fenprof, afirma que "o Estado paga por uma turma com contrato de associação mais do que por uma pública. Só com estas 656 turmas, irá pagar aos privados mais três milhões e 617 mil euros do que pagaria se as turmas ficassem em escolas públicas".
Este governo continua contrato após contrato, dia após dia a esvaziar os cofres e a destruir o estado em benefício de uns quantos privados, é cada vez mais urgente acabar com esta sangria. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:50

Insubmissos e os outros queixinhas

por Hugo Sampaio, em 05.07.15

democracia.jpg

 

 

A submissão é um acto ou acção de se submeter a algo ou alguma coisa, é deixar-se dominar passivamente, uma forma de vassalagem ou servidão. Este acto pode ser uma acção pejorativa quando um individuo (ou um povo) é sujeito a humilhação devido à sua condição.


Nós os portugueses sabemos bem o significado desta palavra, sabemos na pele o significado de um governo que se submete a tudo e a todas as ordens alemãs ou de organismos não eleitos democraticamente como o FMI.

 

A submissão de um governo custou a Portugal vários milhões de euros e uma enormidade de custos sociais, perdemos empregos, rendimentos, saúde, empresas públicas, perdemos um estado, destruímos um país pela subordinação aos mercados e credores. Tantos anos de submissão e subordinação trouxeram a Portugal a ditadura pelo medo fazendo com que as pessoas assumam que o caminho que foram obrigados a tomar é o único a seguir, mesmo isso não sendo a verdade. Estes anos fizeram com que os portugueses perdessem a confiança na democracia acreditando em tudo que os senhores da Europa dizem e insurgindo-se contra aqueles que, como a Grécia, têm a coragem de dizer não à ditadura da união europeia defendendo o que acham melhor para a sua população, apesar de todas as chantagens que levantaram contra si.

 

Sim, por incrível que possa parecer, as políticas podem ser dirigidas para defender as pessoas e não só para defender as empresas e os mercados. A Europa durante muitos anos perdeu o foco e a linha de orientação, tomaram-se decisões em organismos não eleitos que possuem força para humilhar países, tomaram-se decisões contra as pessoas e pelas empresas e interesses económicos aliás, consegue-se até decidir sobre o futuro de países em organismos que oficialmente não o são como por exemplo o eurogrupo.

 

Finalmente na Europa apareceu um governo que foi capaz e teve a coragem de dizer «Não» aos tubarões europeus, que foi capaz de marcar um referendo sobre o seu futuro deixando a população decidir da forma mais democrática possível.

 

Esperemos que este «Não» e que esta coragem se alastre pela Europa fazendo os lideres mudarem de politicas direccionando-as para a democracia, para a igualdade, para o respeito mutuo e para o beneficio das populações. Que seja um vento da mudança pelo povo e para o povo vindo mais uma vez do berço da democracia.

 

Viva a Grécia, Viva a democracia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:23

 

 

 

A campanha de desinformação sobre a Grécia abunda e pior que tudo é que parece estar a funcionar, a vergonha dos ataques vindos de vários titulares de cargos públicos ( Cavaco Silva, Pedro Passos Coelho, Christine Lagarde) leva as pessoas a acreditarem nas palavras destas pessoas tão sérias e puras (ler com tom irónico).
Muitas pessoas afirmam e crêem mesmo que a Grécia não fez cortes, que vivem á grande e que não querem pagar o que devem. Sabemos (ou devíamos) que a Grécia fez um esforço sub-humano para agradar a credores e aos gigantes da Europa, viveu demasiado tempo refém desta ideologia de direita e está a pagar caro o preço da cegueira e da escuridão em que viveu desde 2010.

Peço desde já desculpa se faltarem alguns dados ou se houver alguma incorrecção (foi o que fui encontrando por aí) mas a história foi mais ou menos esta:


- Aumento do período contributi2010 primeiro pacote

- Congelamento de salários
- Corte de benefícios em 10 %
- Corte 30% em horas extra

2010 segundo pacote

- Corte 30% em subsídios
- Fim de benefícios de ausência
- Corte de 12 % em benefícios dos funcionários públicos
- Corte 7 % em todos os salários
- Aumento do IVA
- Imposto 15 % sobre combustíveis
- Imposto na importação de automóveis de 10 % a 30 %
- Limitação do 13º e 14º mês a 500€ e abolição para quem ganha mais de 3000€
- Corte de 8 % em benefícios
- Subsídios de pensionistas limitados a 200€ e abolição para quem receber mais de 2500€
- Aumento do IVA
- Aumento de 10 % em tabaco, bebidas alcoólicas e combustíveis
- Imposto sobre bens de luxo 10 %
- Abolição parcial do subsídio de solidariedade
- Liberalizações na legislação laboral vo
- Limites à reforma antecipada
- Taxas verdes
- Liberalização do mercado de energia
- Redução das empresas públicas de 6000 para 2000
- Redução dos municípios de 1000 para 400

2011

- Venda de propriedades
- Privatizações
- Imposto sobre rendimentos aumenta de 1 % a 4 %
- Aumento do IVA em 2% no mercado imobiliário
- Imposto sobre imóveis de 3€ a 20€ por m2
- Imposto sobre rendimentos acima de 8000€ anuais
- Imposto extra sobre rendimentos anuais acima de 12000€


2012 primeira ronda

- Corte 22 % no ordenado mínimo
- Abolição de um dos subsídios
- 150,000 despedimentos
- Cortes nas pensões
- Nova liberalização na legislação laboral  
- Cortes na saúde e na defesa
- Sectores da indústria passam a puder baixar salários
- Mais privatizações

2012 segunda ronda

- Nova liberalização na legislação laboral (outra vez?)
- «Junção» de subsistemas de saúde
- Aumento do IVA
- Aumento do IVA da restauração para 23 %
- Novo imposto sobre tabaco, bebidas e combustíveis
- Corte de 20 % em salários da função pública
- Corte de 30 % nos salários dos funcionários de empresas do estado
- Despedimentos
- Cortes na educação
- Fecho de 1976 escolas
- Pensões acima de 1000€ levam corte de 20 %
- Pensionistas com 55 anos perdem 40 % da pensão se for superior a 1000€


2014

- 30,000 pessoas enviadas para casa um ano com corte de 60 % no salário.
 


Que o Syriza não ceda, já chega de imposição de cortes, já chega de humilhar um povo irmão. (são pessoas caraças, deixem-se lá de tretas e de ideologias e ajudem esta gente)
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:54


Mais sobre mim

foto do autor



Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D