Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Insubmissos e os outros queixinhas

por Hugo Sampaio, em 05.07.15

democracia.jpg

 

 

A submissão é um acto ou acção de se submeter a algo ou alguma coisa, é deixar-se dominar passivamente, uma forma de vassalagem ou servidão. Este acto pode ser uma acção pejorativa quando um individuo (ou um povo) é sujeito a humilhação devido à sua condição.


Nós os portugueses sabemos bem o significado desta palavra, sabemos na pele o significado de um governo que se submete a tudo e a todas as ordens alemãs ou de organismos não eleitos democraticamente como o FMI.

 

A submissão de um governo custou a Portugal vários milhões de euros e uma enormidade de custos sociais, perdemos empregos, rendimentos, saúde, empresas públicas, perdemos um estado, destruímos um país pela subordinação aos mercados e credores. Tantos anos de submissão e subordinação trouxeram a Portugal a ditadura pelo medo fazendo com que as pessoas assumam que o caminho que foram obrigados a tomar é o único a seguir, mesmo isso não sendo a verdade. Estes anos fizeram com que os portugueses perdessem a confiança na democracia acreditando em tudo que os senhores da Europa dizem e insurgindo-se contra aqueles que, como a Grécia, têm a coragem de dizer não à ditadura da união europeia defendendo o que acham melhor para a sua população, apesar de todas as chantagens que levantaram contra si.

 

Sim, por incrível que possa parecer, as políticas podem ser dirigidas para defender as pessoas e não só para defender as empresas e os mercados. A Europa durante muitos anos perdeu o foco e a linha de orientação, tomaram-se decisões em organismos não eleitos que possuem força para humilhar países, tomaram-se decisões contra as pessoas e pelas empresas e interesses económicos aliás, consegue-se até decidir sobre o futuro de países em organismos que oficialmente não o são como por exemplo o eurogrupo.

 

Finalmente na Europa apareceu um governo que foi capaz e teve a coragem de dizer «Não» aos tubarões europeus, que foi capaz de marcar um referendo sobre o seu futuro deixando a população decidir da forma mais democrática possível.

 

Esperemos que este «Não» e que esta coragem se alastre pela Europa fazendo os lideres mudarem de politicas direccionando-as para a democracia, para a igualdade, para o respeito mutuo e para o beneficio das populações. Que seja um vento da mudança pelo povo e para o povo vindo mais uma vez do berço da democracia.

 

Viva a Grécia, Viva a democracia.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:23

Portugal está melhor

por Hugo Sampaio, em 03.03.15

Portugal está melhor as pessoas é que "coiso". Link bom

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:07

o seu problema é inflamação senhor

por Hugo Sampaio, em 27.12.13
Mais um ano de extremas dificuldades que passa e a perspectiva para o próximo não é muito melhor. O governo que nos desgoverna festeja a hipótese de conseguir atingir e respeitar a meta do déficit, claro que é motivo de orgulho mas não nos podemos esquecer que essa mesma meta já foi aumentada duas vezes para puder ser cumprida, e não esqueçamos também que essa meta assassina só será cumprida à custa do sangue, suor e lágrimas de todos os portugueses. Perdão, todos não, pois verificamos este ano que com a crise as grandes fortunas cresceram sem serem taxadas por este governo.

O ano 2014 será mais um ano difícil pois já sabemos à partida que vamos ter aumentos na energia, telecomunicações, transportes, arrendamento, iuc, taxas moderadoras dos hospitais e etc etc etc...http://www.publico.pt/economia/noticia/o-que-vai-ficar-mais-caro-e-os-precos-que-se-mantem-em-2014-1617641

Sabemos que os orçamentos familiares já são apertados resta saber como sobreviverão as pessoas em 2014 com o aumento do preços em tantos bens essenciais. O que mais me deixa triste e revoltado é que Portugal, um dos países com ordenados mais baixos da ue, um dos países com mais desigualdade, um país onde os mais pobres sofrem cada vez mais é também um país que pratica dos preços mais elevados.

http://www.pordata.pt/Europa/Precos+da+electricidade+para+utilizadores+domesticos+(PPS)-1479

http://www.pordata.pt/Europa/Precos+das+telecomunicacoes+chamadas+locais++chamadas+nacionais+e+chamadas+internacionais+para+EUA+(Euro+ECU)-1501

http://www.pordata.pt/Europa/Precos+do+gas+natural+para+utilizadores+industriais+e+domesticos+(Euro+ECU)-1478

Resta esperar pela próxima vingança manhosa pelo chumbo constitucional ou seja, mais um brutal aumento de impostos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:29

O irrevogável relógio do Paulinho

por Hugo Sampaio, em 16.12.13

O senhor vice-primeiro ministro, vulgo Paulinho das feiras, decidiu apresentar um relógio com a contagem decrescente para a saída da troika de Portugal. Ora, ou o relógio foi adquirido em algum negócio da China ou alguém se esqueceu de o acertar depois da compra, é que pelo menos até 2040 vamos ter em Portugal inspectores.

 Parece-me que aqueles 6 meses vão durar 26 anos a passar. Podemos até deixar de ter cá a troika e ser só o BCE com um programa cautelar ou outra coisa qualquer, mas o resultado para nós, os mais pequenos, será sempre o mesmo. Serão sempre os mais pobres a pagar a crise enquanto os mais ricos enriquecem, será sempre à custa do trabalho dos mais pobres e não dos lucros dos grandes grupos económicos, será sempre à custa dos reformados e à custa da destruição do estado.

Parece-me que até às eleições europeias o discurso do governo será a mentira da recuperação económica, da ilusão que 2014 será o ano da prosperidade e que o PSD e este governo foram os responsáveis pela (hipotética) saída da troika. Não esqueçamos que atrás das costas esconderão a verdadeira realidade do país e um segundo resgate (programa cautelar ou lá o nome que quiserem dar)...

Até lá teremos muito populismo barato e muitas irrevogáveis saídas

http://www.ionline.pt/artigos/dinheiro/bce-portugal-tera-mais-programa-seguir-ao-actual-resgateImagem

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:16

Mais verde? Para mim é vermelho, obrigado!!!

por Hugo Sampaio, em 27.11.13
bandeira 

Não posso concordar com mais verde na bandeira porque não desejo conquistar território e não é este um momento de esperança. A esperança deveria ser a nossa expectativa de um dia melhor, deveria ser um desejo intenso pela prosperidade. A esperança deveria ser a nossa confiança no governo para que nos liderasse e nos levasse para um melhor futuro. Mas um amanhã melhor não se constrói com a redução salarial e com aumento de impostos, a felicidade e a prosperidade não se constroem com cortes em reformas e precarização do trabalho.

As perspectivas de futuro morreram com a esperança e levaram os sorrisos no bolso. Por tudo isto defendo o fim do verde na bandeira preenchendo tudo com vermelho. Ainda falta correr muito sangue neste país.

(Em caso de dúvida: SIM, estou a apelar à violência)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:34

Será a OIT a Kriptonite da austeridade?

por Hugo Sampaio, em 04.11.13
O director da OIT foi entrevistado pela TSF e faz algumas declarações que são nada mais nada menos o que a esquerda tem vindo a dizer. Se não fosse o director da OIT a proferir tais palavras e quem as disse já teria sido apelidado de esquerdista e de utópico ou até de usar sempre a mesma cassete. Mas, o que este senhor diz é nada mais do que a verdade.http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Economia/Interior.aspx?content_id=3513960&tag=OIT&page=-1

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:13

E o Estado? Reforma-se?

por Hugo Sampaio, em 24.10.13
Fico deveras preocupado com esta reforma do estado e sinceramente espero que não veja a luz do dia tão cedo. Preocupa-me porque será uma reforma carregada de uma ideologia do capital e da redução do estado só à sua pequena existência. Será uma reforma que não irá passar de cortes a direito e às cegas sem a preocupação com as pessoas e com o real funcionamento de um estado justo e ágil.Uma reforma real, que não seja deitada por terra por outro partido que a seguir tome o puder deve ser feita "com pés e cabeça", construindo para o efeito um grupo de trabalho alargado, com TODOS os partidos, com os sindicatos, com estudiosos de fora da politica e com recurso a referendos. Um grupo de trabalho que vá pensar o estado de forma a torná-lo o mais rentável e menos burocrático possível NUNCA esquecendo pelo meio as pessoas. Uma reforma que permita criar um estado que realmente apoie os que mais precisam e que não funcione de lobbies e interesses.Será uma utopia?Acredito que não, desde que sejam escolhidas as pessoas certas. Acredito que ainda existe gente de valor dentro de todos os partidos, pessoas capazes de olhar para o estado esquecendo o partido nesse momento e pensando nas pessoas, em nós, nos Portugueses.Imagem

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:50

Des_Ânimo

por Hugo Sampaio, em 15.10.13

Por vezes sinto que o chão foge dos meus pés, vejo o céu e depois apago. Entro num pesadelo real, assombroso. Há alturas em que perco a força, baixo os braços, desanimo, mas só por momentos. Há momentos em que a Luta parece ser em vão, há momentos em que parece que não significamos nada nem para nós próprios.  Há momentos em que sinto a fraqueza nos joelhos. Mas acordo. Suado e com dores de cabeça, mas pronto para a pancada, hoje está marcada para depois das 20h com a voz de Maria Luís Albuquerque.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:08

Portugal-the boat

por Hugo Sampaio, em 16.06.13

Imagem

Aperta!

Reprime!

Em jeito de regime.

Estica!

Corta!

Mas o povo não suporta.

Olha do alto!

Sorri!!

O povo não te quer aí.

Ludibria o futuro.

Mata o presente.

Não queremos Passos nem Seguro

nem este Presidente.

Não queremos Portas, Maduro,

já chega desta gente.

Não queremos Cristas nem Gaspar

Alguém aí fora nesse mar???

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:17


Mais sobre mim

foto do autor




Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D