Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Mais verde? Para mim é vermelho, obrigado!!!

por Hugo Sampaio, em 27.11.13
bandeira 

Não posso concordar com mais verde na bandeira porque não desejo conquistar território e não é este um momento de esperança. A esperança deveria ser a nossa expectativa de um dia melhor, deveria ser um desejo intenso pela prosperidade. A esperança deveria ser a nossa confiança no governo para que nos liderasse e nos levasse para um melhor futuro. Mas um amanhã melhor não se constrói com a redução salarial e com aumento de impostos, a felicidade e a prosperidade não se constroem com cortes em reformas e precarização do trabalho.

As perspectivas de futuro morreram com a esperança e levaram os sorrisos no bolso. Por tudo isto defendo o fim do verde na bandeira preenchendo tudo com vermelho. Ainda falta correr muito sangue neste país.

(Em caso de dúvida: SIM, estou a apelar à violência)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:34

Ainda temos de pensar em Feminismo?

por Hugo Sampaio, em 14.11.13
Faz sentido nos dias de hoje debater o Feminismo?A questão surgiu-me quando ouvi uma criança com toda a naturalidade e espontaneidade chamar o pai e, com uma grande admiração dizer: "Pai, olha uma senhora num camião". Foi um pequeno momento que me levou no pensamento, foi um pequeno momento em que pensei se já teremos tanta igualdade como seria de esperar.Para mim faz todo o sentido o debate, e fará sempre enquanto a verdadeira igualdade não for alcançada, enquanto ainda nos questionarmos, enquanto no médio oriente existir opressão, enquanto existirem burcas, apedrejamentos e proibições. Faz falta debater o feminismo nas escolas, faz falta mudar mentalidades e é nos primeiros anos que isso deve ser feito, com toda a normalidade.Não vejo a questão resolvida com criação de legislação que providencie direitos ás mulheres, é algo maior, é uma questão cultural. O próprio facto de ser necessário algum tipo de leis ou estudos e tabelas revela que ainda há um grande caminho a percorrer até não ser necessário falar nem pensar nem legislar, até ser algo que nos saia naturalmente, até ninguém mais se sentir inferior. Até nenhuma criancinha ficar admirada por ver uma mulher camionista.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:17

Será a OIT a Kriptonite da austeridade?

por Hugo Sampaio, em 04.11.13
O director da OIT foi entrevistado pela TSF e faz algumas declarações que são nada mais nada menos o que a esquerda tem vindo a dizer. Se não fosse o director da OIT a proferir tais palavras e quem as disse já teria sido apelidado de esquerdista e de utópico ou até de usar sempre a mesma cassete. Mas, o que este senhor diz é nada mais do que a verdade.http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Economia/Interior.aspx?content_id=3513960&tag=OIT&page=-1

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:13

Sabujice

por Hugo Sampaio, em 21.10.13
A mentira é das coisas mais desprezíveis e ao mesmo tempo das mais reveladoras de carácter que  pode existir. Na cara da mentira vemos a ética de quem a profere, vemos a personalidade da pessoa, clara e límpida como a mais pura das águas. A mentira vem muitas vezes acompanhada pela famosa "cara de pau", que é aquela cara de quem mente, sabe que está a mentir e, pior que tudo, sabe que toda a gente sabe que está a mentir. A "cara de pau" é aquela cara que acompanha grande parte do elenco ministral deste governo. É aquela cara com que Maria Luís Albuquerque disse que não tem dinheiro em nenhuma conta, é aquela cara com que Paulo Portas........, nasceu.As mentiras atrás de mentiras que estes senhores proferem, a cara com que as dizem, os seus sorrisos amarelos e de ironia e o à vontade com que o fazem só mostram o tipo de pessoa que são, só mostram a pobreza de espírito com que foram brindados à hora da nascença.Meus senhores, não queiram ver a fibra de que este povo é feito.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:23

Filhos de Abril

por Hugo Sampaio, em 19.10.13
ImagemSou filho da geração de Abril, daqueles que cresceram oprimidos, que viveram privados das necessidades mais básicas, que viveram e cresceram sem liberdade e com fraca educação. Sou filho daqueles que apesar de toda a agressão e de toda a violência conseguiram lutar pelos seus direitos. Daqueles que lutaram para que um dia os seus filhos crescessem numa sociedade laica e livre, uma sociedade de igualdade onde todos teriam um igual acesso ao ensino e à saúde.Sou um filho da revolução.Sou filho daqueles que hoje são esquecidos e tratados como lixo, que são roubados e atacados todos os dias.Aqueles que um dia lutaram e deram tudo por um futuro melhor, que trabalharam uma vida inteira confiando e depositando as suas poupanças num estado que hoje os penhora, que hoje os chama de gorduras e lhes corta as reformas e pensões de sobrevivência.Sou filho dos pais da nossa Constituição que hoje são espezinhados pelo meu irmão.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:54


Mais sobre mim

foto do autor



Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D